terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Trabalho e Afins


Imagem via Google































Ouço o despertar do relógio 05h40m da manhã. Ainda tenho sono e o trabalho que tenho não me empolga a acordar.
Meu maior sonho é trabalhar na área em que escolhi para começar minha vida: TI.
Sem sucesso e avanço nesse sonho por enquanto, mas sem desistir de traçar caminhos para alcançá-lo.
Bom, vou me apresentar. Para os que não me conhecem ou não acompanharam alguma vez o blog, me chamo Daiane, sou atendente em um posto de saúde da minha cidade e graduada em Análise e Desenvolvimento de Sistemas.
Tenho 23 anos mas minha mente paira nos 17. Tenho amor por livros, fotografia e animes.
Mas vamos voltar ao foco da minha rotina.
Devo acordar porque sou responsável o bastante para ignorar o trabalho e dormir.
Moro aproximadamente uns 4 km de distância do trabalho, entro às 7, mas espero o transporte perto de casa.
Nesse momento meu horário de expediente é das 7 às 15h SEM HORÁRIO DE ALMOÇO, focando.
Bom, atendo as pessoas que irão passar nas consultas pegando prontuários e etc. Algo que não tem absolutamente nada a ver comigo.
Continuo aqui pela seguinte situação: Mudanças de vida exigem estudo, estudo exige dinheiro e dinheiro provém do trabalho: Simples!
Não tenho muita sorte em arrumar emprego, então pretendo permanecer nesse até conseguir outro.
Na hora do almoço, os corredores do hospital cheiram à limão e de vez em quando álcool.
Minha sala cheira papel, e minhas mãos ficam pontilhadas de tinta de caneta.
A sala do dentista cheira sala de dentista mesmo.
As vezes vejo pessoas mal e isso não me agrada. Crianças choram pelas vacinas ministradas, e adultos pelos diagnósticos ruins.
O clima é meio pesado e humanas nunca foi uma escolha, foi meio que uma imposição eu diria.
Raramente encontro alguém bem humorado para atender, normalmente os pacientes não tem paciência alguma e sempre trago um livro para as horas vagas porque me sinto muito sozinha aqui.
Tem o negócio da culpa também: se algum médico falta, ou se acabam as vagas para consulta, ou qualquer outra coisa que aconteça no universo se torna automaticamente culpa minha.
Também tem o lado bom... Fiz algumas amizades, aprendi algumas coisas sobre medicina e outras coisas do tipo.
É um tipo de experiência também.
Mas o problema é que eu sou uma pessoa do tipo facilmente impressionável e emocional, não indicada para hospitais e PRINCIPALMENTE necrotérios.
Minhas horas felizes são as horas que saio do trabalho, a hora que chego em casa, os fins de semana e as férias.
Bom mas tenho de contar que: saio às 15 e vou esperar o transporte no centro da cidade por aproximadamente 2h.
Sim eu fico tipo 11 horas fora de casa.
Ultimamente meus dias de segunda à sexta após o trabalho tem se resumido em comer e dormir até o dia seguinte.
Vou começar inglês, e é uma vergonha para mim ainda não saber esse idioma mesmo tentando sozinha. Acho um máximo autodidatas.
Uma das situações mais frustantes é tentar mudar sua vida, ter uma profissão e se esforçar e mesmo assim não sair da estaca zero. Mas vi que não sou só eu.
Muitos terminam uma graduação e não encontram emprego. E o lugar em que vivo, aliás a região inteira não me favorece.
Mas sabe eu não vou desistir, tenho uma teimosia adolescente daquelas de descobrir o mundo com as próprias mãos.
O segredo é não se deixar abater pela ausência de sorte que as vezes temos na vida. Acredito em Deus, sei que de alguma maneira tudo isso tem um propósito. E vou seguindo.
Tem pessoas que nem mesmo tem um emprego...
Assim que entrar no inglês e começar a sentir o clima de tudo faço um post para os leitores que querem se aventurar no curso.
O inglês vai ser um dos meus passos rumo ao tão almejado emprego em TI.
Essa é minha rotina diária, entre realidade e devaneios utópicos vou seguindo...
Mas vou contar-lhes um segredo: Sou viciada em cheiro de livros e cadernos, no clima de estudos e trabalhos acadêmicos, nos movimentos em meio a mochilas e canetas. Talvez por essa razão gosto de estudar, e não penso em parar tão cedo.
Vou provar a mim mesma que o conhecimento pode mudar rumos, aliás acredito fielmente nisso.


-Daiane C Silveira


sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Primeiros livros de 2015


Olá!
Sei que ando afastada mas não é por mal, e sim para escrever o que realmente é relevante, e não sequencia de posts somente.
Hoje vou dar dicas a partir de livros que li nesse começo de ano, para você que está pensando em comprar um livro e não sabe qual título escolher.


-A Invenção das Asas, Sue Monk Kidd


Esse foi um presente de aniversário de uma amiga minha.
Ao ler o título imaginei um "romance romântico", aqueles do tipo "A culpa é das estrelas", mas me enganei totalmente.
A invenção das asas tem muito da história americana da época em que era colônia inglesa.
Retrata o sul escravagista e o norte livre. E dentro dessa trama estão os personagens Encrenca e Charlotte, (mãe e filhas escravas) e Sarah a sinhazinha que pensa diferente da maioria dos sulistas.
Em meio a situações de coragem, esperança e amor, A invenção das Asas, mostra que é possível mudar o rumo de uma história e de suas vidas.

"Se você precisa errar, erre pela audácia."
- Sue Monk Kidd, A invenção das asas

Links para compra: Submarino / Saraiva / Livraria Cultura



-Anjos na Escuridão, Lauren Kate




































O extra da saga Fallen conta histórias sobre o que seriam as partes não contadas da trama, pelo menos entendi dessa maneira, já que conta o que acontece com Trevor antes de Luce ir para Sword and Cross e cenas que não são citadas mas que fazem parte, e quando lemos entendemos certas questões que antes ficaram no ar.
Esse livro me esclareceu alguns pontos obscuros sobre os personagens.
Se você leu a saga completa, praticamente obrigatório que leia esse extra.
A única coisa que acho que ficou faltando foi a frase que vinha sempre depois da primeira página do livro. Senti falta.
Meu status: Esperando o filme :)

"Havia muito o que fazer para que as coisas fossem como deveriam ser: com Luce e Daniel se apaixonando. Com todos ao redor dos dois mantendo a esperança de que um dia, de algum jeito, ela conseguiria sobreviver."
-Anjos na Escuridão, Lauren Kate

Links para compra: Saraiva / Livraria Cultura



-A Bibliotecária de Auschvitz

Sim sou eu :3





































Baseado em uma história real, retrata a história de Edita uma jovem que na segunda guerra mundial se vê com a família em um campo de concentração, a fábrica de matar.
Porém, por uma intempérie do destino ela vai para um barracão diferente, cujo objetivo é entreter as crianças enquanto os pais trabalham.
É aí então que entram os proibidos livros, e Edita fica encarregada de guardá-los e protegê-los.
Essas "armas" banidas por Hitler poderão sobreviver as vistas dos kapos e soldados da SS?
E Edita saíra ilesa de tudo?

"-O atleta mais forte não é o que atinge a meta antes. Esse é o mais rápido. O mais forte é o que se levanta cada vez que cai. O que quando sente dor nas costas, não para. É aquele que quando enxerga a meta bem ao longe, não desiste. Quando esse corredor atinge a meta, ainda que chegue em último, é um vencedor. Às vezes, mesmo que você queira, não está em suas mãos ser o mais rápido, porque suas pernas não são tão compridas ou seus pulmões são mais limitados. Mas você sempre pode escolher ser o mais forte. Só depende de você, da sua vontade e do seu esforço. Não vou pedir que vocês sejam os mais rápidos, mas vou exigir que sejam os mais fortes."
- Antonio G. Iturbe, A Bibliotecária de Auschwitz

Links para compra: Submarino / Livraria Cultura





-Daiane C Silveira





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...